fbpx

O ideal fica

por acm

Adelmir Santana

Presidente da Fecomércio-DF, entidade que administra o Sesc, o Senac e o Instituto Fecomércio no Distrito Federal.

Infelizmente, Eduardo Campos não terá mais a chance de escrever o seu futuro. Mas o futuro do Brasil ainda pode ser escrito a partir do legado deixado por ele. Tudo vai depender de qual será o tamanho do compromisso deste País com a renovação. Refiro-me, sobretudo, a um jeito novo de se fazer política e não propriamente a corrida presidencial em si. A diferença para os demais é que Eduardo representava uma novidade promissora. Em um meio carente de lideranças e propostas renovadoras, seja pelos efeitos da ditadura ou pela descrença da juventude diante de tantos escândalos, o neto de Miguel Arraes se firmava como um gestor ético e moderno, com fortes possibilidades de um dia comandar esta nação.

Tragicamente, quis o destino inverter a lógica das coisas. O meu sentimento, ao tentar compreender os fatos, ainda é de absoluta perplexidade e profundo pesar. Imagino que a maioria dos brasileiros também sente essa perda da mesma maneira. Solidarizo-me com os familiares de todas as vítimas dessa tragédia. É impossível prever agora quais serão as repercussões desse acidente. Também não julgo ser este o momento adequado para o PSB negociar qual será o caminho adotado por Marina Silva, apesar de ela ser a candidata natural na chapa do partido. O momento é de luto. Perde o processo político, perde a política brasileira e perde toda nação. O ideal, porém, não se perde, nunca.

Em sua marcante entrevista ao Jornal Nacional, Eduardo Campos fez questão de dizer: “Não vamos desistir do Brasil. É aqui onde nós vamos criar nossos filhos, é aqui onde nós temos que criar uma sociedade mais justa.”Essa é uma daquelas frases que ecoarão pela eternidade. Antes de morrer, esse grande líder nos deixou mais essa lição. É preciso arregaçar as mangas se quisermos realmente mudar o País. É uma tarefa difícil, mas não impossível. “Quando o povo quer, o povo faz as mudanças”, dizia Campos. Ele tinha razão. A mudança é sempre possível.

Publicado originalmente no Jornal de Brasília 17/08/2014.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.