fbpx

Mesmo com a pandemia, número de contratações temporárias para o Natal deste ano deve chegar a 3 mil, revela Instituto Fecomércio-DF

A contratação de trabalhadores temporários para atuar no comércio brasiliense durante o Natal será menor este ano quando comparado com 2019. É o que mostra o levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio-DF. De acordo com o estudo, 20,90% dos empreendedores farão contratações, isso significa que serão abertas aproximadamente 2.860 vagas temporárias em 2020. No ano passado, na mesma época, 22,6% dos comerciantes manifestaram o desejo de realizar contratações temporárias (3.094). O levantamento ouviu 402 lojistas do DF, de diversos segmento, entre os dias 20 e 27 de setembro.

O presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia, aponta que apesar da situação atual de pandemia, que começou em março no Brasil, alguns lojistas farão contratações. “Apesar do coronavírus ter impactado diretamente a confiança do empresário, principalmente quanto a tomada de decisão em aumentar as despesas, notamos apenas uma pequena queda nas contratações quando comparado com o ano passado. O que não é de todo ruim, até mesmo por conta das incertezas causadas pela atual situação”, informa. “O Natal é sempre um momento mágico e uma das melhores oportunidades para a recuperação no fluxo de caixa, por ser a melhor data para o comércio. Por isso, alguns empresários irão aumentar sua mão de obra e vão efetivar trabalhadores temporários, o que é bom para a economia local e para a recuperação do mercado de trabalho”, completa.

De acordo com o levantamento, 54,76% dos empresários começarão a contratar a partir da segunda quinzena de novembro e 36,90% a partir da primeira quinzena de dezembro. A pesquisa perguntou se existe a possibilidade do funcionário temporário ser efetivado e 77,38% dos entrevistados disseram que sim – apesar de alto, a expectativa do ano passado era 92,2%. Os principais pré-requisitos apontados para o preenchimento das vagas são: flexibilidade de horário (33,04%); comportamento proativo (24,23%) e experiência prévia para o cargo (22,47%).

O segmento com a maior média de contratação por estabelecimento para esse ano é o de minimercado, mercearias e armazéns (7,5%); calçados e acessórios (3,9%); artigos de armarinho, suvenires e bijuterias (3,17%); padaria e confeitaria (3,14%); suprimento de informática (2,75%); vestuário e acessórios (2,63%); cosmético e perfumaria (2,25%); cama mesa e banho (2,00%); joalheria(2,00%); vidraçaria (2,00%) e papelaria e livraria (1,00%).

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.