fbpx

Câmara de Inovação da Fecomércio se reúne para fortalecer segmento

Os integrantes da Câmara de Inovação e Tecnologia da Informação da Fecomércio-DF se reuniram na manhã desta quinta-feira (8), por videoconferência, para discutir planos de trabalho que visam ao fortalecimento do segmento no Distrito Federal. Entre os assuntos que estiveram em pauta estava a necessidade de se evidenciar mais o trabalho das empresas locais – foi falado da necessidade do executivo olhar o empresário do ramo como um parceiro, para gerar cada vez mais renda e emprego. Além disso, foi elaborado uma ideia para a criação de eventos periódicos que fomentem o empreendedorismo da cidade: evidenciando colaboradores, potenciais sócios e novas oportunidades de negócio.

Para o presidente da Câmara de Inovação, Christian Tadeu, chegou o momento de a tecnologia abraçar o seu espaço e tomar assento no DF. “Na questão da pandemia, a tecnologia foi importantíssima, sem ela nada aconteceria. A pandemia mostrou que o segmento não é uma atividade fim, e sim uma atividade transversal, que caminha por vários setores”, disse Christian. Ele falou ainda da importância e da inteligência dos integrantes da câmara. “Esse grupo é bastante relevante, temos grandes empresários e entidades da área, assim como membros do governo que acompanham as nossas reuniões. Acredito que essa é a hora e não podemos perder”, ressaltou Christian, que também preside o Sindicato das Empresas de Serviços de Informática (Sindesei-DF).

Outro tema abordado foi a necessidade do governo em investir nas empresas do DF. O empresário, Djalma Petit, e também integrante do grupo da Federação, enfatiza que no estado de Santa Catarina, por exemplo, a receita do segmento de tecnologia já é maior do que a do turismo na região. “Hoje, a inovação e a tecnologia são fontes de receitas enormes. Brasília tem potencial para ter indicativos de receita na área e número de empregos maiores do que a construção civil”, disse. O que acontece hoje, segundo o empresário, é a falta de apoio. “Em outros estados o governo cria desenvolvimento com apoio – aqui no DF, infelizmente, é quase que nulo o nível de apoio”, destaca Petit. “Temos esperança que o executivo local dê mais incentivos, estamos mantendo um diálogo visando melhorias”, conclui.

O representante do governador, Ibaneis Rocha, na Câmara da Fecomécio, o jornalista Ricardo Riella, disse que os últimos dois governos da cidade não tiveram um relacionamento próximo com o setor de inovação. A ideia agora, segundo ele, é a de que o GDF se aproxime mais do segmento e crie uma agenda positiva. “As entidades não tinham nenhum nível de participar nas outras gestões. Neste governo temos esperança que isso aconteça. Até por isso que essa câmara é importante, para levarmos propostas consolidadas para o executivo”, informou Riella.

O presidente da Câmara de Tributação e Finanças Públicas da Fecomércio-DF, e empresário da área, Charles Dickens, também participou da conversa e ressaltou que essa questão é importantíssima para o desenvolvimento da renda na cidade. “Se investem lá fora, o dinheiro não circula aqui dentro, a renda vai para outros estados, outros países, e o emprego também. Antigamente, tínhamos várias empresas nacionais, hoje somos representantes de empresas de outros países. É preciso investir”, informou Charles.

O representante da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-DF), Renato Moraes, ressaltou que para o segmento ganhar relevância, é preciso que o empresário se posicione, cada vez mais. Segundo ele, a indústria de tecnologia do DF é limpa, protege o meio ambiente e está totalmente interligada com assuntos atuais. “Precisamos mostrar para o governo que ele é o nosso sócio, que temos tecnologia limpa e capacitada”, disse Renato. O Sindesei-DF, sindicato da base da Fecomércio-DF, está estudando parcerias para que seja possível a realização de uma pesquisa, quantificando empresas e diversos segmentos dentro da área de TIC da capital. Segundo Christian Tadeu, a ideia é exatamente a de fortalecer as empresas e mostrar a força para o governo e para a população.

O presidente da Associação de Startups e Empreendedores Digitais (ASTEPS), Hugo Giallanza, seguiu a linha de Renato e destacou que os empresários precisam se posicionar mais. De acordo com ele, o governo cria iniciativas e não envolve o setor. Com isso, gera-se urgências, sem planejamentos. “Como um deputado cria uma lei específica para o nosso segmento sem consultar a gente? Até quando isso vai ser natural? Passa governo, entra governo e quem continua aqui são os empreendedores, é gente que está aqui todo dia”, explicou.

Criação de eventos

Durante a conversa foi proposto ainda uma criação, no estilo MeetUp, de eventos presenciais para pessoas com interesses semelhantes. A ideia é realizar esses encontros em espaços abertos, usando food trucks, com o objetivo de se criar uma rede: conectando empreendedores a novos colabores, ou a sócios. “Existe muita demanda de epreendedor com dificuldade de encontrar parceiros. Esse tipo de evento é algo extremamente simples e eficiente”, destacou o presidente da Asteps, Hugo Giallanza.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.