Por Francisco Maia
Presidente do Sistema Fecomércio-DF (Fecomércio, Sesc, Senac e Instituto Fecomércio)

A Era da Informação revelou personagens com vocação empresarial que revolucionam o universo dos negócios. Assim como na gênese da espécie humana, a presença da mulher fez nascer na iniciativa privada um novo caminho de sucesso. Hoje o Brasil convive com 24 milhões de mulheres empreendedoras, segundo avaliação do Sebrae. A maioria aceita o desafio para enfrentar o desemprego ou uma vocação imperiosa de realizar o novo. Elas não temem o desconhecido porque o instinto ensina que no início ninguém precisa saber tudo, mas vencerá quem tiver a volta pessoas com conhecimento. Sabem que não é pecado errar, pois as lições do erro pavimentam o sucesso.

Uma análise do Sebrae Nacional identificou em uma pesquisa com 70 empresas os segredos da sustentabilidade, inovação, eficiência e atualização da mulher empresária. A presença da mulher na economia transformou a história do desenvolvimento. Atualmente, em quase a metade dos lares, são elas que dão o sustento. O destino quis que a primeira Câmara Setorial da Fecomércio DF, criada por nós e presidida por Beatriz Guimarães, fosse a das Mulheres Empreendedoras e Gestores de Negócios. Maio é mês de festa, pois marca exatamente o aniversário dessa câmara.

Câmaras Setoriais são pontes eficientes entre demandas da sociedade e as iniciativas sindicais. Atuam no governo e legislativo, com novas leis, emendas, ideias e consultoria ao poder executivo. O momento, mensageiro do acaso, conspirou para que o aniversário da primeira câmara de mulheres ocorresse durante tempos trevosos para a iniciativa privada. É prova de fogo, mas também momento de fazer do risco a oportunidade de marcar diferença e competência. É possível enfrentar algumas vezes o hálito quente das derrotas, mas com essa experiência é que aprendemos a sobreviver. Uma capitã de empresa nos mostra lições. Luiza Helena Trajano, presidente do Magazine Luiza, com carinho dá um conselho. “Empreendedorismo é ousar, fazer diferente, correr riscos e acreditar no seu ideal”.