fbpx

Número de pedidos de falência cresce 13% de janeiro a outubro

O número de empresas que pediram falência entre janeiro e outubro deste ano cresceu 13,7% em relação a 2015, segundo pesquisa divulgada nesta quinta-feira (3) pela Boa Vista SCPC. Em 12 meses, a alta foi de 14,3%. No entanto, o estudo mostra que, na comparação com o mês imediatamente anterior e com outubro de 2015, os pedidos de falência tiveram queda de 5,2% e de 8,5%, respectivamente. O número de empresas que pediram recuperação judicial nos primeiros dez meses de 2016 subiu 66,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Já na comparação com o mesmo mês de 2015, o número de pedidos aumentou 32,7% em outubro. Em relação a setembro, houve queda de 45,2%. A quantidade de empresas que tiveram seu pedido de recuperação judicial atendido pela Justiça aumentou 61,8% entre janeiro e outubro. Considerando a comparação com o mesmo mês de 2015, houve aumento de 15,2% em outubro. Já em relação ao mês anterior, a queda foi de 37,3%.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.