fbpx

Lei que obriga auxílio à mulheres em situação de risco em bares e restaurantes da cidade vai onerar empresas, diz sindicato

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), sancionou nesta quarta-feira (29) uma lei do legislativo brasiliense, de autoria do deputado Robério Negreiros (Lei nº 6.564), que dispõe sobre a obrigação de bares e restaurantes adotarem medidas auxiliares para mulheres que se sintam em situação de risco nas dependências dos empreendimentos. O Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhobar-DF) informa que o assunto é muito sensível e que já fez diversas campanhas no sentido de apoio as mulheres da cidade. O presidente da entidade, Jael Antonio da Silva, destaca que mais uma vez o setor produtivo pode ser onerado por leis que não são discutidas com o setor.

A norma diz ainda que será necessária a afixação de cartazes nos estabelecimentos com o seguinte texto “Não está se sentindo segura? Este estabelecimento presta auxílio à mulher que se sinta em situação de risco. Procure a direção”. Entre outros mecanismos, a lei diz que será obrigatório que o comércio tenha um funcionário disponível para acompanhamento da mulher até o carro, ou comunicar a polícia da situação.

Jael informa que essas medidas podem onerar ainda mais o setor, que convive com prejuízos, referentes ao fechamento do comércio, por causa da pandemia do novo coronavírus. “Há dois meses fizemos uma campanha com a Câmara Legislativa do DF, junto com a deputada Júlia Lucy, no intuito de alertar os empresários e colaboradores sobre esse assunto tão sério. O problema é fazer uma lei que pode acarretar custos para o empresário, além de parecer inconstitucional. A norma, em momento nenhum, fala de multas ou qual funcionário deverá ajudar”, diz. “Mais uma vez querem botar na costa do empresário uma série de coisas. Teremos que treinar funcionários? Vamos ter que ter um contato direto com a polícia? Não é função de um garçom fazer isso, vamos estudar e tentar arranjar alguma solução para o empresário que já está sofrendo diversos prejuízos, já que a lei é uma interferência indevida na livre iniciativa, portanto é inconstitucional”, conclui Jael.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.