fbpx

GDF sanciona lei de criação do Biotic – Parque Tecnológico

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg sancionou a lei de criação do  Biotic – Parque Tecnológico durante solenidade no Palácio do Buriti, nesta terça-feira (10). A lei assinada pelo governador altera a publicada em 2002, que previa a instalação apenas de empresas ligadas às áreas de tecnologia da informação e telecomunicações e dava o nome ao local de Capital Digital. Agora, como Biotic, amplia-se o escopo do empreendimento com a possibilidade do desenvolvimento da área de biotecnologia.

parque

Rollemberg explicou que o objetivo é fazer com que a área de 1,2 milhão de metros quadrados, entre a Granja do Torto e o Parque Nacional de Brasília, agregue empresas de tecnologia, informação e comunicação, além de empresas ligadas à biotecnologia e à nanotecnologia. O governador também anunciou que a partir de agora o local será gerido por um fundo de investimento e que o edital  para inscrição das instituições financeiras que pretendem concorrer será lançado ainda nesta semana. A previsão, de acordo com a Terracap, é de que a empresa seja escolhida até o fim do mês de fevereiro.

“Hoje damos um passo importante para o desenvolvimento tecnológico do DF. Um projeto desse só será vitorioso se conseguirmos unir a iniciativa privada e o governo. É uma alegria enorme sancionar essa lei, pois sempre acreditei muito na vocação do DF para as áreas de TI”, afirmou Rollemberg. Ele disse ainda que o parque atrairá grandes empresas e institutos para desenvolver pesquisas em um ambiente tropical.

Já o secretário Adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação da Casa Civil, Marcelo Aguiar, afirmou que a assinatura da lei cria condições favoráveis para que o parque saia do papel, transformando-se em realidade. “O parque é uma oportunidade enorme de negócios que o governo colocará à disposição dos empresários da nossa cidade, e com a geração de emprego e renda aqui no DF”, disse. “A participação e o apoio dos empresários da capital do País será de fundamental importância para o sucesso da nossa empreitada. Esse parque está sendo construído baseado em modelos de sucesso. Estamos muito confiantes. É o momento da virada, pois podemos vislumbrar a sua real efetivação”, explicou. Marcelo disse ainda que a expectativa de geração de emprego no local será de 20 mil postos de trabalho diretos, só na área de TIC e 40 mil indiretos.

O presidente do Sindicato das Empresas de Serviços de Informática do Distrito Federal (Sindesei-DF), entidade da base da Fecomércio-DF, Charles Dickens disse estar confiante para que o projeto finalmente saia do papel. “Acredito que esse ato do governador é de fundamental importância. Hoje começa uma nova fase: passando da intenção para a implementação, entramos na fase da ação e a expectativa total é de que o parque saia do papel efetivamente. Já temos empresas grandes se estabelecendo no local, como a Embrapa, e os vetores estão todos direcionados para que realmente vá para frente”, acredita Dickens

Para Marco Tulio Chaparro, presidente da Câmara Temática de Tecnologia da Fecomércio-DF, pasta criada pela Federação com o objetivo de fomentar o setor, o parque deixou de ser uma demanda das empresas de tecnologia da informação e virou um desejo da sociedade brasiliense. “É a primeira vez que o governo, a iniciativa privada e a academia trabalham em conjunto em prol de um resultado. Graças a isso, acreditamos que faremos em um governo o que não foi feito nos últimos. É um projeto para o futuro de Brasília. Estamos confiantes”, disse Marco Tulio.

O presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Christian Tadeu, disse que o setor produtivo brasiliense espera por esse momento há anos. “Estamos aguardando o chamamento do governo para as empresas de TI da cidade fazerem parte de forma concreta desse projeto. Agora é hora de colher esses frutos e torcer para que tudo dê certo”, disse.

O deputado distrital Rodrigo Delmasso (PTC) disse que Brasília sempre precisou sair um pouco do eixo econômico do setor público. “Desde os anos 1990 sabíamos que um dia o setor público poderia não mais sustentar essa cidade. Uma das vocações da nossa cidade é a tecnologia. Hoje, com a assinatura da lei, vejo que Brasília está no rumo certo”, disse o deputado.

Também estiveram presentes à solenidade o superintendente da Fecomércio-DF, João Feijão; o assessor parlamentar da Federação, Athayde Passos da Hora; a advogada da entidade, Sayonara Gomes; o superintendente do Sindesei, Tiago Piu Reis; Hugo Giallanza, presidente da Associação Brasileira de Startups e Empreendedores Digitais (ASTEPS); Luiz Carlos Botelho, presidente do Sindicato da Construção Civil (Sinduscon); Jamal Bittar, presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra).

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.