fbpx

CNC avalia impactos da crise de água e energia

por acm

Dentre as áreas afetadas, o turismo é uma das mais atingidas. “A crise energética afeta de maneira brutal a rentabilidade dos hotéis e restaurantes brasileiros”, destaca Alexandre Sampaio, presidente do Conselho e Empresarial de Turismo e  Hospitalidade (Cetur) da CNC. Ele explica que, em plena temporada e com altas temperaturas na maior parte dos destinos turísticos, o custo do consumo de energia elétrica eleva o custo operacional, prejudicando o planejamento orçamentário para este ano, que já não tem boas perspectivas. “Ademais, o risco de apagões ou racionamento não contribui para a imagem de bons serviços e atendimento da hotelaria e da gastronomia nacionais”, complementa Sampaio.

A necessidade de ação do governo para solucionar o problema também é destacada por Carlos Thadeu de Freitas, economista-chefe da Confederação. Para ele, a redução do consumo de energia precisa ser estimulada. Quanto ao uso de geradores por grandes varejistas e shoppings, Thadeu considera que deve haver algum tipo de incentivo fiscal para a compra dos equipamentos.

“O consumo per capita de energia elétrica vem subindo aceleradamente desde a crise de 2011, de 1.642 kWh para 2.461 kWh em 2015. A crise da água na região do Rio Paraíba do Sul está 25% pior do que a maior seca histórica”, afirma Galvêas. Segundo ele, a insegurança quanto ao suprimento de energia pode atrasar a retomada dos investimentos no segundo semestre e projetar um resultado ainda mais negativo do PIB em 2015 (abaixo de zero). Com isso, reduz-se a arrecadação de tributos federais e ficam prejudicados os efeitos da política de ajuste fiscal do Ministério da Fazenda. “A tendência é termos no Sudeste um ciclo de stress hídrico (falta de chuvas) igual ao do Nordeste. Estamos caminhando para a possibilidade de racionamento e de novos apagões”, aponta o consultor da presidência da CNC.

O intenso calor e a falta de chuvas estão antecipando uma visão de calamidade em relação ao fornecimento de água e de energia elétrica no Sudeste brasileiro, especialmente nas regiões da grande São Paulo e do Rio de Janeiro, avalia Ernane Galvêas, consultor Econômico da presidência da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Para o ex-ministro da Fazenda, a crise no abastecimento pode ter reflexos em investimentos essenciais à retomada do avanço da economia do País.

Olá! O nosso site usa cookies e, portanto, coleta informações sobre sua visita para melhorar nosso site. Por favor, consulte nossa página de política de cookies e  para mais detalhes ou concorde clicando no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

A seguir, você pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Salvar configurações de cookies" para aplicar sua escolha.

FunctionalNosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalyticalNosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para o propósito de usabilidade.

Social mediaNosso site coloca cookies de mídia social para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

AdvertisingNosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OtherNosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, mídia social ou publicidade.