Setor de serviços no Brasil registra recuo de 3,8% em maio

O setor de serviços no Brasil recuou 3,8% em maio na comparação com abril. É o que diz pesquisa divulgada nesta sexta-feira (13), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o maior resultado negativo da série histórica, iniciada em janeiro de 2011, fortemente influenciada pela greve dos caminhoneiros, que durou 11 dias no final de maio. O setor de serviços representa 70% da composição do PIB

Já em relação ao mesmo período do ano passado, o volume de serviços recuou 3,8%, maior queda desde abril de 2017, quando foi registrado uma queda de -5,7%. O IBGE informa ainda que houve recuo nas cinco atividades investigadas, com destaque para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que apontou a retração mais intensa (-9,5%)_RAP1337 boletim

Segundo o IBGE, a manifestação dos caminhoneiros interrompe qualquer tipo de sinal de recuperação que poderia estar acontecendo até abril. A entidade também afirma que não é possível saber quais são os desdobramentos que podem ocorrer para o mês de junho e se o setor vai ter uma resposta rápida. Diante deste cenário, a Confederação Nacional do Comércio (CNC) revisou as expectativas de variação do volume de receitas do setor para este ano de -0,9% para -1,3%.

De acordo com a divisão econômica da CNC, as atividades de serviços seguem como aquelas a apresentar maior dificuldade em se recuperar da recessão. A entidade destaca ainda que o fraco nível da atividade econômica interna e a carência de investimentos decorrentes das incertezas relacionadas ao quadro político de 2018 se apresentam como obstáculos à recuperação das atividades, uma vez que a maior parte das receitas tem origem na prestação de serviços entre as empresas.

Distrito Federal

No Distrito Federal, no mesmo período, as vendas no setor de serviços também foram influenciadas negativamente pela manifestação dos caminhoneiros, registrando uma queda de -4,57% na comparação com abril – os dados são da Pesquisa Conjuntural de Micro e Pequenas Empresas do DF, realizada pelo Instituto Fecomércio com o apoio do Sebrae.

Entre em contato.

Não pode ser lido? Mude o texto. captcha txt