Membros da Câmara de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) da Fecomércio, e empresários do segmento de TI, estiveram reunidos, nesta quinta-feira (19), na Câmara Legislativa do DF, com o presidente da Casa, deputado distrital Joe Valle. Eles discutiram a criação e finalidade do Biotic – Parque Tecnológico. Com foco em inovação, tecnologia da informação, biotecnologia e comunicação, o parque foi criado com capacidade para abrigar cerca de 1,2 mil empresas.

WhatsApp Image 2017-01-19 at 2.32.14 PM

O presidente da Câmara Temática de Tecnologia da Fecomércio, Marco Tulio Chaparro, ressaltou que para o parque sair efetivamente do papel, governo e setor produtivo precisam trabalhar em conjunto em prol de um resultado concreto. “O parque deixou de ser uma demanda das empresas de tecnologia da informação e virou um desejo da sociedade brasiliense. Mas para que isso aconteça, entendemos que esse parque só pode dar certo se o setor produtivo participar com apoio do governo. Porque todas as vezes que só um dos dois lados se posicionou nada aconteceu”, defendeu Chaparro.

A previsão é de que em junho seja lançada a primeira oferta pública de ações para investidores interessados e, em novembro, comece a construção do primeiro bloco onde serão instaladas as empresas. O próximo passo para a instalação do parque, segundo o presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Christian Tadeu de Souza, é a contratação, em fevereiro, do agente financeiro que será responsável pelo fundo de investimento do empreendimento. Além disso, ele defende que seja oferecida toda segurança jurídica necessária aos empresários. “Após o chamamento do governo para as empresas de TI da cidade fazerem parte de forma concreta desse projeto, vamos efetivamente começar a colher os frutos e torcer para que tudo dê certo”, disse.

O presidente do Sindicato das Empresas de Serviços de Informática do Distrito Federal (Sindesei-DF), entidade da base da Fecomércio, Charles Dickens também esteve presente na reunião e defendeu a importância de encontros entre o governo e o setor de TI. “Passamos da intenção para a implementação e entramos na fase da ação. A expectativa é de que o parque saia do papel efetivamente”, acredita Dickens. Principal empreendimento do governo de Brasília na área de ciência, tecnologia e inovação, o Biotic integra a lista de locais prioritários do Executivo local para firmar parcerias com a iniciativa privada. A expectativa é que os investimentos privados somem R$ 1,6 bilhão.