Intenção de consumo dos brasilienses diminui em março, mas cresce na comparação anual

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) brasilienses diminuiu em março e atingiu 96,9 pontos, contra 99,6 registrados em fevereiro de 2018. É o que mostra pesquisa divulgada pela Fecomércio-DF. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve uma alta de 4,5 pontos na intenção de consumo dos brasilienses. Em março do ano passado, a pesquisa havia registrado 92,4 pontos – valores abaixo de 100 indicam pessimismo por parte da população.

icO presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, explica que os impostos do começo do ano comprometem boa parte da renda dos brasilienses. “Esse é um resultado esperado, pois os brasilienses precisam quitar seus débitos junto ao governo nesse período e por isso reduzem suas compras. Entretanto, a intenção de consumo vem se recuperando em relação ao ano passado. Para os próximos meses, o índice pode voltar a subir, dependendo do mercado de trabalho”, diz Adelmir.

Em relação ao emprego, 73,7% dos entrevistados disseram que se sentem mais seguros na comparação com o mesmo período do ano passado. Já 52,6% acreditam que a renda familiar está melhor do que no mesmo período de 2017. A pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é um indicador com capacidade de medir, com a maior precisão possível, a avaliação que os consumidores fazem sobre aspectos importantes da condição de vida de sua família, tais como capacidade de consumo, atual e de curto prazo; nível de renda doméstico; segurança no emprego; e qualidade de consumo, presente e futuro.

Entre em contato.