O Ministério da Fazenda informou nesta terça-feira (12) que calcula em R$ 15 bilhões o prejuízo à economia provocado pela greve dos caminhoneiros. A categoria paralisou as atividades e fechou rodovias do País durante 11 dias no final de maio. Os caminhoneiros reivindicavam, entre outros pontos, valor mínimo para o frete e redução no preço do óleo diesel. Durante a greve, houve crise de abastecimento em todo o País. Faltaram combustível nos postos de gasolina e alimentos em mercados e feiras. Por escassez de querosene de aviação, aeroportos deixaram de funcionar. A greve também afetou serviços que dependem de locomoção nas estradas, como entrega de correspondências e transporte de cargas vivas.