Fecomércio criará grupo para articular a atração de grandes empreendimentos para Brasília

Com o objetivo de aquecer a economia e atrair grandes investimentos para a cidade e para o Entorno, a Fecomércio lançará nesta quarta-feira (20), às 9h, na sede da entidade, a sua Câmara Especial de Articulação de Projetos Estruturantes para o Desenvolvimento do DF. O governador Rodrigo Rollemberg e a presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão, confirmaram presença na solenidade. Empresários, secretários de Estado, representantes de instituições financeiras e membros da comunidade acadêmica farão parte do grupo. O principal objetivo da câmara será apoiar a implantação de grandes empreendimentos com foco nas áreas de comércio, serviços, turismo, economia criativa e inovação.

Torre diital- Boletim-1O presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, explica que com o apoio dessa câmara será possível auxiliar o governo na formulação de projetos de desenvolvimento e intermediar o contato com os investidores privados. “Brasília apresenta atrativos econômicos consideráveis, como a elevada renda per capita, e tem uma posição geográfica estratégica no mapa do Brasil, uma vez que saem daqui as grandes estradas e um grande modal de comunicação. Além disso, a nossa região busca dar alguns benefícios fiscais objetivando o setor de serviços e a indústria limpa, o que pode se traduzir em projetos de grande importância para o Brasil”, ressalta Adelmir.

A Fecomércio atuará para que seja construída, por exemplo, uma cidade agrícola na saída Norte do DF, na região de Planaltina; defenderá a implantação da cidade digital, de um polo de saúde e de parques temáticos, como a Dinsey e o Six Flags, entre outros projetos, levando grandes atacadistas e comerciantes para essas localidades. “Brasília tem todo o potencial para ser referência em inovação e se tornar um grande centro cultural, financeiro, tecnológico e de consumo. Mas, para isso, os Poderes Executivo e Legislativo precisam estar alinhados com o setor produtivo, e criar as condições necessárias para que esses grandes empreendimentos saiam do papel”, completa Adelmir.

A câmara trabalhará para impulsionar o desenvolvimento tanto de Brasília quanto das regiões limítrofes e será composta por entidades dos setores privado, público e financeiro, além de organizações internacionais. Já aceitaram integrar o grupo organizações como a Inframerica, a Embrapa, secretarias de Estado, universidades públicas e privadas, entidades representativas e bancos como a Caixa Econômica Federal, o Banco do Brasil, o BRB, o BNDES, o BIRD e o Banco Interamericano de Desenvolvimento, além de representantes da Câmara Legislativa.

Entre em contato.