A Fecomércio quer atrair investidores para resgatar o Natal no DF e fazer da capital federal a porta de entrada para os turistas que desejam visitar o Centro-Oeste. Pensando nisso, a Federação do Comércio apresentará na noite desta segunda-feira (19), para o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, o projeto Natal em Brasília, com a apresentação conceitual da proposta do festival e de maquetes. A ideia é oferecer grandes atrações natalinas para levar o encanto da data aos milhares de turistas que passam por Brasília e para os moradores da cidade. O projeto prevê a construção de uma Vila de Natal com espetáculos teatrais na Esplanada dos Ministérios, além de shows e atrações artísticas na Torre de TV, no Museu da República e no Eixo Monumental.

19/12/2016. Crédito: Breno Fortes/CB/D.A Press. Brasil. Brasília - DF. Foto noturna da decoração (ou a falta dela) de Natal na Esplanada dos Ministérios.

Com investimento estimado em mais de R$ 5 milhões, a programação leva a assinatura de Rodrigo Cadorin, diretor artístico do Natal em Gramado (RS), e do cenógrafo Abel Gomes, responsável pela cenografia da Olimpíada Rio 2016 e pela árvore de Natal da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro. O projeto será apresentado também para os membros da Câmara de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio-DF nesta quarta-feira (21), às 11h, na sede da Fecomércio.

De acordo com o presidente da Federação do Comércio, Adelmir Santana, a proposta tem como objetivo reviver o Natal de Brasília, fortalecer o turismo e movimentar a economia. “Os turistas pedem mais eventos para a capital federal, como uma belíssima festa de Natal nos principais pontos turísticos de Brasília. Já estamos fazendo articulação com todos os investidores parceiros de forma a viabilizar o projeto”, explica Adelmir Santana.

Turismo no DF

As atividades turísticas no Distrito Federal cresceram 4,4% entre março e abril deste ano, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com o mesmo período do ano anterior, Brasília teve a segunda pior variação do país, com rendimento negativo de 21,2%, ficando à frente apenas do Espírito Santo. Para Adelmir, Brasília deve ser percebida como a porta de entrada do turismo regional para o Centro-Oeste. “Por isso, devem ser promovidos os destinos turísticos a partir da beleza arquitetônica e cultural de Brasília, e valorizado locais como Pirenópolis e Chapada dos Veadeiros, com foco em atividades que envolvam aventura, cultura, sustentabilidade e belezas naturais”, ressalta.